Nota de Esclarecimento da J.Nasser Engenharia


A presente nota vem em tom de esclarecimento aos leitores da matéria “Os sócios do poder”,  constando na edição 2356 da Revista VEJA.

A contratação da empresa JNASSER ENGENHARIA LTDA para a obra de revitalização do Porto de Manaus ocorreu após procedimento administrativo regular , a cargo do DNIT  Brasília, cujo respectivo edital, com as regras inerentes ao certame, ficou à disposição de todas as empresas do país.

Tal licitação foi realizada através do sistema de RDC, Regime Diferenciado de Contratação, no qual cada empresa apresenta o seu projeto sem que haja um pré-projeto por parte do Governo. A contratação em RDC ocorreu por conta da necessidade urgente de revitalização de parte do Porto de Manaus até a Copa do Mundo da FIFA, sendo tal escolha feita pelo DNIT. Por ser humanamente impossível a entrega do projeto completo até a Copa, foi prevista no edital RDC Presencial Nº 232/2013 a entrega por etapas e em prazos pré-definidos.

A J. Nasser Engenharia Ltda. foi a única empresa que apresentou know-how nas áreas civil e naval a fim de preencher os requisitos do edital. Várias empresas impugnaram o edital por não obterem as qualificações necessárias, como é natural em procedimentos democráticos, restando mantido o resultado do certame, o qual, frise-se, é sujeito aos mais amplos controles de legalidade pela própria Administração Pública e também por órgãos de controle externos e da população de um modo geral, corroborando a competência e disposição para o trabalho ao longo de 35 anos desta empresa amazonense.

Durante a licitação, as planilhas de custo apresentadas pela J. Nasser Engenharia Ltda. foram devidamente auditadas pelo TCU, o qual fez algumas observações e liberou a continuação das obras. Desta forma, são inverídicas as alegações de superfaturamento, pois o valor posteriormente subtraído refere-se a serviços que não mais serão realizados.

De fato, o sócio majoritário da empresa, Sr. JOSÉ NASSER, é amigo e vizinho do Senador Alfredo Nascimento, e já o era quando o atual Senador foi Prefeito de Manaus, Superintendente da SUFRAMA, Vice Governador do Amazonas e Ministro dos Transportes. E, durante todas as gestões supracitadas, a J. Nasser nunca “ganhou” uma obra sequer. Dita relação de amizade jamais foi utilizada para se vencer licitações ou obter qualquer tipo de favorecimento pessoal, não se misturando as relações institucionais e pessoais.
Lamenta-se que a J. Nasser Engenharia Ltda. não tenha sido procurada para prestar tais esclarecimentos antes da publicação da matéria. Inverídica, também, a afirmação de que as ligações não foram retornadas por um dos sócios, preferindo o veículo de informação noticiar fatos sem a versão de parte interessada.

Certos de que a contratação obedece a legalidade e que os serviços estão sendo executados com a qualificação técnica e qualidades exigidas, coloca-se à disposição para esclarecimentos eventualmente necessários.

Manaus, 14 de janeiro de 2014.

J. Nasser Engenharia Ltda.